Renting de equipamentos para construção civil

faça uma gestão mais eficiente das suas obras, dispondo de toda a maquinaria necessária

Faça uma simulação

Receba uma proposta em minutos. Simples.

O setor da construção civil em Portugal encontra-se limitado por algumas condicionantes. A maior de todas será a situação económica do país, com períodos de muitas obras intercalados por outros sem qualquer investimento nesta área. A falta de apoio por parte da banca também não ajuda: as empresas do setor dificilmente conseguem aceder ao crédito bancário, tendo por isso de usar capital próprio caso precisem de novo equipamento. Poderá o renting de equipamento na construção civil ajudar a resolver estes constrangimentos?

Esta opção pode ajudar a encarar de forma mais positiva o negócio a médio-longo prazo, usufruindo de maior liquidez e previsibilidade nas suas contas, conseguindo acesso a maquinaria mais recente para trabalhar melhor e evitar acidentes de trabalho, com a vantagem do negócio não ficar parado por não haver crédito para comprar a maquinaria necessária.

A gestão de riscos na construção civil é indispensável para identificar possíveis problemas com antecedência, auxiliando os gestores na tomada de decisões que usem precisamente os riscos eventuais de uma forma realista e favorável a uma evolução bem-sucedida do projeto. Nesta senda de minimizar o impacto dos riscos, há uma questão muito importante que qualquer gestor deve equacionar: comprar ou alugar o equipamento?

    Renting de equipamentos para construção civil

    Que empresas podem beneficiar desta modalidade?

    O renting é um serviço presente em vários setores de atividade e a área da construção civil não é exceção. Os seus benefícios são inegáveis: em vez de se comprar um equipamento a pronto, paga-se uma renda pelo respetivo aluguer e usufruto, com inegáveis vantagens a nível operacional, financeiro e logístico. Isto porque o equipamento está sempre atualizado, o seu custo de exploração torna-se mais leve, pode ser rentabilizado na fiscalidade da empresa e não há qualquer preocupação de onde o guardar quando o aluguer terminar.

    Este último aspeto é mais importante do que aparenta. Já pensou no que fazer com toda a maquinaria quando a obra terminar? Encontrar um estaleiro para guardar material deste calibre pode facilmente tornar-se uma dor de cabeça – não só pelo custo extra, mas também pelo facto de as máquinas ficarem paradas a ganhar pó e a perderem valor.

    Mais do que pensar em ter a maquinaria para si, concentre as suas atenções na redução de desperdícios. Ao eliminá-los, rapidamente verá diversos impactos positivos: melhoria da qualidade do serviço, redução do tempo de execução de algumas atividades e diminuição do custo de produção são alguns dos principais.

    O renting de equipamentos para construção civil é uma ferramenta que permite à sua construtora e ao seu negócio beneficiar destas vantagens. E mais ainda: passa a ter acesso à mais moderna tecnologia e até consegue dar resposta a novas oportunidades de negócio graças ao fácil acesso àquela máquina específica para uma obra pontual. Somando a tudo isto a dedução das mensalidades na fiscalidade da empresa, estará a contribuir para uma melhor saúde financeira da sua empresa e do seu negócio, sem saídas rápidas de capital nem endividamentos bancários desnecessários.

     

    Vantagens do renting de equipamentos para construção civil

    Operacionais

    • Dá-lhe acesso à mais moderna tecnologia, num prazo de 12 a 72 meses.
    • Permite-lhe entrar em projetos pontuais graças a uma justa relação entre custo e utilização.
    • Potencia a produtividade geral, beneficiando o seu negócio e reduzindo em simultâneo os custos.

    Financeiras

    • Não tem impacto na liquidez de capital da sua empresa e permite-lhe deduzir as mensalidades.
    • Permite-lhe definir um orçamento para a obra mais realista e fácil de cumprir até ao fim.
    • Com o renting saberá sempre com o pode contar uma vez que as mensalidades são fixas.

    Logísticas

    • Permite-lhe dimensionar o parque de maquinaria de acordo com as reais necessidades do negócio.
    • Os equipamentos estão alugados, não sendo considerados ativos da empresa.
    • Não tem de se preocupar com os equipamentos quando o contrato de aluguer terminar.

     

    Quer saber se o renting é a melhor opção para a sua construtora? Introduza os dados da sua empresa no nosso simulador. Receberá um email com o plafond aprovado. Ficará também a conhecer a duração máxima disponível para o seu contrato de renting. Simples, certo?

     

    Conhecer valor máximo financiado

     

    Como funciona…

    Porquê o renting no setor da construção civil?

    Todas as áreas de atividade procuram hoje formas de economizar, e o setor da construção não é exceção. A recessão mundial que marcou o arranque deste século fez sobressair os efeitos nefastos da volatilidade dos ciclos económicos. No entanto, os negócios não param e o renting surge como uma resposta transversal a todos os setores, independentemente do custo, do tipo ou até da dimensão dos equipamentos pretendidos.

    Perante dúvidas e incertezas, o renting de equipamento afirma-se cada vez mais como uma solução viável para o acesso a equipamentos de construção, contribuindo para que as empresas do setor possam cortar custos e gerir o seu negócio de uma forma financeiramente mais estável e sustentável.

    Dito isto, todas as empresas que atuem no mercado podem beneficiar de uma solução de renting, independentemente do custo, do tipo ou até da dimensão dos equipamentos pretendidos. Desde os dispositivos móveis que a equipa de engenharia usa no local da obra, como tablets ou equipamentos de rádio, até à maquinaria de intervenção mais pesada, como gruas ou retroescavadoras, o renting está à altura de qualquer projeto ou desafio. É uma solução sensata e lógica na maioria dos casos.

     

    A quem pertencem os equipamentos?

    Uma vez que não compra os equipamentos, eles não são seus. Todavia, no final do contrato poderá comprá-los pelo custo justo de mercado (valor este que não é definido na celebração do mesmo, pois depende da valorização/desvalorização do mercado) ou pode fazer um novo contrato com equipamento mais recente.

    O renting de equipamentos para construção civil oferece ainda a vantagem de não ter de orçamentar custos de manutenção e armazenamento, uma vez que os mesmos não são considerados ativos da empresa. É claro que, se decidisse comprá-los, teria a opção de os poder vender mais tarde e obter algum tipo de retorno sobre o seu investimento, embora a margem de depreciação do valor seja razoavelmente alta logo ao fim do primeiro ano.

     

    Antes de tomar uma decisão: comprar ou alugar?

    O renting é sempre mais vantajoso face à compra?

    Regra geral, o renting faz sentido não só numa situação de utilização de equipamento no curto-prazo (12 a 24 meses) como também – e sobretudo – nos casos de médio a longo prazo (entre 24 e 72 meses). Caso precise do equipamento por alguns anos mais ou se tiver a certeza de que irá executar um trabalho especializado que requeira um determinado equipamento de construção com uma frequência bem estabelecida no cronograma de projetos poderá fazer mais sentido comprá-lo.

    Em matéria de estabilidade financeira, o renting não pesa no capital da sua empresa da mesma forma que a compra de um equipamento. No entanto, é aconselhável que evite fazer diversos rentings num período de tempo relativamente curto, pois o custo poderá aumentar a ponto de ultrapassar o gasto de uma compra.

     

    Ficaria melhor servido comprando o equipamento?

    Antes de avançar com uma decisão, analise o número de contratos assinados para o trabalho que tem em mãos e os compromissos que provavelmente conseguirá adjudicar para a sua empresa, e que exigirão o equipamento em consideração. Estude prospetivamente a agenda de projetos da sua construtora a curto e médio prazo. Mesmo se concluir que só irá precisar de ter o equipamento por um curto período de tempo para aquele projeto especial em que o custo do equipamento inviabilizava a ida a concurso, opte pelo renting.

    Se comprar o seu próprio equipamento, terá acesso a ele sempre que quiser e estará sempre pronto para usar num trabalho conforme necessário. Possuir o equipamento significa que tem a flexibilidade para lidar com alterações e constrangimentos de diversa ordem, seja devido a condições climatéricas, a pedidos extra do cliente ou a quaisquer outras circunstâncias que possam surgir. O renting do equipamento poderá implicar algum tempo de espera enquanto o mesmo lhe é disponibilizado, por muito breve que seja.

     

    Desvantagens da compra

    No entanto, comprar o equipamento também tem desvantagens: a manutenção e reparação de avarias serão custos adicionais (no renting estes custos também não estão refletidos na renda mensal, sendo serviços contratados à parte ao fornecedor – representando desta forma um impacto muito menor no cash flow operacional da empresa), e quando não precisar dele terá de encontrar sítio onde estacionar e guardar. Embora possa vendê-lo, não irá conseguir reaver uma parte substancial do capital despendido.

    Ainda sobre a parte dos valores, perguntará e bem: há custos associados ao renting de equipamentos para construção civil? O único custo com que terá de se preocupar e que deverá equacionar no seu orçamento é o da mensalidade, pago mediante uma única fatura a um só interlocutor. É tão simples, prático e económico quanto isto.

     

    Compra vs. Renting: Contas de cabeça

    Compra

    • Pode implicar um forte impacte na liquidez da empresa, com considerável descapitalização no momento da aquisição.
    • A manutenção obrigatória fica a cargo do proprietário, que assume também o risco do custo derivado de avarias parciais ou totais.
    • Quando não está a ser usado, o equipamento requer espaço extra para acomodação e fica muitas vezes parado a acumular poeira.
    • Quando deixar de ser necessário, o equipamento pode ser colocado à venda mas com um elevado índice de depreciação.

     

    Renting

    • O equipamento é obtido sem impacte no capital e a renda mensal pode ser deduzida na fiscalidade da empresa.
    • A assistência ao equipamento fica estabelecida no contrato de renting, libertando a sua empresa de mais custos.
    • Quanto não está a ser usado, não precisa de se preocupar: o interlocutor do seu contrato de renting trata de tudo.

     

    Mesmo não comprando, não seria mais vantajoso optar pelo crédito?

    Todos sabemos que o setor da construção civil está ainda em processo de recuperação. Ainda que longe dos números de outros tempos, são evidentes os sinais de retoma e as boas notícias vão-se fazendo ouvir. No entanto, e além da necessidade geral de um maior investimento público, há ainda um problema pela frente: a falta de apoio do sistema financeiro, uma dificuldade aliás identificada também pela própria Associação de Empresas de Construção Civil e Obras Públicas (AECOPS).

    Mesmo que a “torneira” do crédito volte a abrir, há que equacionar se essa é efetivamente uma solução mais vantajosa face ao renting. Tradicionalmente costuma ser um processo mais burocrático e moroso, para além da questão de passar a haver um saldo em dívida para equilibrar até ao zero no seu término – e sendo que os equipamentos serão seus, pelo que no final do contrato ou dos projetos passará a ter os tais problemas e preocupações que já mencionámos.

    E não se esqueça de outro aspeto importante: ao adquirir a crédito equipamentos mais recentes, estará a comprar tecnologia para a qual a sua equipa poderá ainda não ter a necessária preparação. Se optar por ter acesso a esses mesmos equipamentos via renting, terá acesso a um útil pacote de instruções e orientações técnicas tendo em vista a correta e eficaz operação da maquinaria em causa. Contas feitas, é um custo extra que pode assim evitar.

    Antes de tomar uma decisão compare os vários cenários disponíveis. Quer ficar a conhecer o montante máximo financiado para a sua construtora?

     

    Faça uma simulação

     

    Como escolher o parceiro certo?

    Na hora de escolher um parceiro, procure uma empresa com vasta experiência no mercado e que lhe disponibilize um serviço completo de aconselhamento sobre os equipamentos mais adequados ao seu caso específico. Assegure-se de que o serviço de renting contratado é chave na mão e apresentado numa só fatura periódica, que é de fácil gestão e que lhe garante não só o acesso ao equipamento mais adequado, como também o transporte até ao local onde precisar dele.

    Para maior tranquilidade, informe-se sobre a questão da manutenção obrigatória ou reparação por avaria, ou em caso extremo da substituição do equipamento – são aspetos não incluídos na renda mensal e que devem por isso ser equacionados e contratados à parte.

     

    Liqui.do: o renting certo para a sua empresa

    A solução de renting da Liqui.do não coloca barreiras desnecessárias nem burocracia interminável às empresas. Os nossos critérios de aprovação consideram variáveis muito particulares face às que são praticadas pela generalidade do mercado e a nossa resposta é mais disponível e ágil face a outras opções, nomeadamente fundos comunitários e crédito bancário.

     

    Por onde começar?

    Simule o plafond disponível

    Depois de colocar os dados da sua empresa vai receber um email com indicação do montante aprovado para a sua empresa. Escolha o equipamento que necessita e apresente a proposta de renting ao seu fornecedor de equipamento ou entrar em contacto connosco, para o colocarmos em contacto com um dos nossos fornecedores. Assine o contrato digital e dentro de poucos dias o equipamento será entregue e instalado na morada que indicar.

     

    melhore a liquidez da sua construtora:
    alugue os equipamentos necessários para as obras em curso

    Simular