Liqui.do recebe financiamento de 150 milhões de euros da Goldman Sachs

Liqui.do recebe financiamento de 150 milhões de euros da Goldman Sachs

A Liqui.do pretende usar este financiamento para ajudar PMEs a obter os equipamentos modernos que necessitam para fazerem crescer os seus negócios.

A Liqui.do, uma empresa portuguesa especializada em soluções de renting de equipamentos para pequenas e médias empresas negociou um financiamento de 150 milhões de euros junto da Goldman Sachs Private Capital (“Goldman Sachs”). No âmbito de tal financiamento, 50 milhões de euros estão já disponíveis, estando a disponibilidade dos restantes 100 milhões sujeita à verificação de determinadas condições.

A Liqui.do pretende usar este financiamento para ajudar PMEs a obter os equipamentos modernos que necessitam para fazerem crescer os seus negócios. A Liqui.do pretende recrutar este ano 20 novos profissionais para reforçar a sua área comercial e de desenvolvimento de software. A Liqui.do pretende igualmente chegar a novos mercados, investindo na melhoria da sua plataforma, tecnologia e oferta de produto.

Sérgio Nunes, CEO da Liqui.do, afirma que “este financiamento é um passo muito importante para a empresa, pois irá permitir à Liqui.do apoiar mais PME nacionais, conferindo-lhes mais liquidez de modo a fazerem crescer os seus negócios.”

O processo de renting de equipamentos da Liqui.do é totalmente digital, apoiado em algoritmos dedicados, sem burocracias e representa uma mudança de paradigma no modo como o renting de equipamentos é efetuado em Portugal. Através da plataforma da Liqui.do, em poucos segundos o fornecedor de equipamento pode apresentar uma proposta de renting ao seu cliente e fechar o negócio naquele momento, sem necessidade de informação ou documentação adicionais.

José Capitão, Diretor de Operações, afirma que “nos últimos 3 anos a Liqui.do, em colaboração com mais de 1000 fornecedores de equipamentos ofereceu soluções de renting de 35 milhões de euros em equipamentos. O investimento da Goldman Sachs permitir-nos-á injetar maior liquidez nas PME nacionais e facilitar o acesso a equipamento moderno que lhes ajudará a crescer.”